segunda-feira, 30 de maio de 2011

Medalha de Dardanelos - França 1ª Guerra

Médaille des Dardanelles


Apesar da vitória do Marne, em setembro de 1914, os Aliados não tiveram nenhuma outra vitória decisiva na Frente Ocidental, as forças armadas atoladas na guerra de posição durante o inverno 1914-1915. Para quebrar o impasse, Winston Churchill, Primeiro Lorde do Almirantado, planejou uma operação contra o estreito de Dardanelos, que, pretendia abrir uma nova frente no Mediterrâneo oriental, inicialmente para aliviar a pressão da Rússia no Cáucaso e na Turquia, com a reabertura do Estreito para a navegação, permitem regulariza o envio de equipamentos para o império czarista e restaurar o equilíbrio após o sucesso inicial na frente oriental alemã.

Apesar do desacordo do Almirantado britânico, que considera o projeto suicída, na ausência de pré-desembarque de tropas para reduzir as fortes defesas do Estreito, o Secretário de Estado da Guerra, general Kitchener, concorda que esta tentativa seja feita.

Em 18 marco de 1915, uma frota anglo-francesa que tenta forçar o estreito, mas é um fracasso total, os aliados perderam 7 dos 18 navios envolvidos (incluindo o Bouvet encouraçado francês que, depois de bater numa mina flutuante, afundou em minutos, matando toda a tripulação (28 oficiais e 600 homens). Assim termina a primeira fase , puramente operações navais no Dardanelos.

Gravura: Heróico artilheiro Turco, Dardanelos 1915.

Em abril de 1915, começa a segunda fase, que termina em setembro. Ela está situado na península de Gallipoli, onde desembarcou a Força Expedicionária Franco-Britânica. O contingente francês ou CEO (Corps Expéditionnaire d'Orient) tem cerca de 20.000 homens sob o comando do General d'Amade, em maio substituído pelo general Gouraud gravemente ferido no final de junho (teve seu braço direito amputado), que por sua vez é substituído pelo general Bailloud.

Gravura: Desembarque ANZAC em Gallipoli.

Sob o comando do general alemão Liman von Sanders, o Quinto Exército turco resistiu a todos os ataques das tropas aliadas que, para além do terreno difícil, também deve suportar as condições de vida muito duras, as epidemias causando grandes estragos. Finalmente, a entrada na guerra contra a Bulgária, em Outubro de 1915, agora torna-se necessário enviar forças para Salônica.

Todas estas razões explicam a decisão de evacuar a península de Gallipoli ( terceira fase ), entre 10 dezembro de 1915 e 08 de janeiro de 1916.

Corps Expéditionnaire d'Orient desembarcando em Gallipoli

A Medalha comemorativa dessas operações foi estabelecida em junho de 1926 (juntamente com a Medalha do Leste) para premiar militares e civis que participaram na expedição de Dardanelos, mas também os marinheiros (especialmente) que participaram deste mesmo envio.

Seus às vezes usa uma barra na fita dita como "não-ofical" inscrita "Dardanelos" em metal dourado ou prateado.


Detalhe do reverso.
Na bandeira,: Honra - e - Pátria - 1915 - 1918

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Medalha de Chateau-Thierry - França 1ª Guerra

Médaille de Château-Thierry

Criado pela cidade de Chateau-Thierry em honrar os veteranos que lutaram nesta área durante o verão de 1918. 
Há pelo menos três produções da medalha de prata e bronze.

Seu oposto incorpora o design da medalha do dia na cidade de Paris a partir de 14 julho de 1917 para comemorar a recente entrada em guerra dos EUA ao lado dos aliados. Ela também recorda a amizade franco-americana, envolvendo, no anverso, a efígie de Washington e Lafayette olhando para a esquerda,  datas: 04 de julho de 1776 para os Estados Unidos, 14 de julho de 1789 para a França. Escultor Gaston Lavrillier, sua fabricação foi realizada por Instalações Paris-Art.


O inverso é mais específico, pois é o nome da cidade de Chateau-Thierry , a data de 18 de julho de 1918 (início da ofensiva aliada) ea frase "A vitória finalmente" ao fundo uma Legião de Horna (Legion d'Honneur) irradiando. Após receber a Legião de Honra da cidade de Chateau-Thierry, em 1920, a cidade decidiu transformá-lo em uma medalha comemorativa.

A medalha dada aos veteranos com o grau é idêntico, também tem soldado uma faixa que serve a suspensão da fita e no qual estão inscritos " Chateau-Thierry Cota 204" .Existem também as marcações O Paris-Arte sob o busto de La Fayette.


A fita, muito estreita, céu azul, lembrando da Ordem de Cincinnati estabelecida após a Guerra da Independência dos Estados Unidos em que a França esteve fortemente envolvida.

Cartão postal da época mostrando uma ilustração romántinca de como foi a batalha.



Foto aérea da cidade devastada.

A cidade de Chateau-Thierry foi submetido a duas ataques alemães: em setembro de 1914 e maio de 1918 (quando a ofensiva alemã sobre o Chemin des Dames). Foi durante este segundo ataque que, tendo realizado a Batalha da Cota 204, que foi objeto de três semanas de intensos combates. O inimigo foi finalmente expulso pelas tropas franco-americana durante a Segunda Batalha do Marne.


Em Bronze com 95% do acabamento em Prata intacto, está e uma das primeiros tipos, 
oficialmente "Dia de Paris" em comemoração a recente entrada na 
guerra dos EUA ao lado dos aliados.


A medalha do "Dia em Paris"  para combatentes, 
anverso e reverso, e detalhes das marcações.





Medalha Tipo 1 A (Coleção Rico Ludovic) 


segunda-feira, 16 de maio de 2011

Medalha Comemorativa da Guerra 1914-1918 - Bélgica

Medaille Commemorative de la Guerre 1914 - 1918

Instituído 21 de julho de 1919, inicialmente para a concessão aos belgas que tinham servido com as forças armadas em 1914 - a guerra de 1918. Os critérios de atribuição foram semelhantes aos da medalha da Vitória belga.
Descrição: Em bronze, de forma triangular no 48 milímetros de altura por 30 milímetros de largura, com lados curvados para fora. A suspensão é a forma de um anel . Anverso apresenta a cabeça do Rei Albert com capacete , este conjunto em um rebaixo circular a largura da medalha. Um ramo de hera e de louros de cada lado do leão belgas estão no ápice, e as datas 1914 1918 nos cantos inferiores. Reversa, a coroa real belga ladeado por hera e louro no ápice, enquanto o resto tem a inscrição MEDAILLE COMMEMORATIVE DE LA CAMPAGNE 1914 - 1918 HERINNERINGS MEDAILLE VAN DEN VELDTOCHT.
Uma série de emblemas da fita foram autorizadas para esta medalha.
  • - Uma Coroa de prata dourada para os voluntários para a guerra.(21 de Julho de 1919) 
  • - Uma Coroa de prata para os agentes dos serviços secretos belgas ou aliados. (03 de fevereiro de 1920 
  • - Um Leão de Prata para os funcionários dos serviços secretos belgas .(31 de março de 1933) 
  • - Um fecho de prata frente ("chevon" presença física na frente de 12 meses e barras subseqüentes por períodos de seis meses de serviço). no 5ª barra são substituídas por uma de prata dourada (= 3 anos).( 21 de fevereiro de 1921) 
  • - Uma uma pequena cruz em esmalte vermelho para um ferimento. ( 21 de fevereiro de 1921) 
  • - A estrela de prata para aqueles que retornaram ao serviço ativo após a ferimentos ou doença causada pelo serviço militar. ( 21 de fevereiro de 1921) 
  • - Uma pequena âncora para os marinheiros da Marinha Mercante Bélgica.( 21 de fevereiro de 1921) 
  • - Duas pequenas âncoras cruzada para submarinos militares.(03 de novembro de 1950) 
  • - Uma barra em esmalte preto para os prisioneiros de guerra, uma barra por seis meses de cativeiro.(24 de junho de 1952) 
  • - Um clipe especial (muito raro) para o Corpo Expedicionário belga na Rússia (Carros blidados auto-metralhadoras). Há realmente dois clipes: 
  • - A primeira (fevereiro 1931) traz a inscrição 1916 R 1917 
  • - A segunda, que substitui o (Novembro 1950), traz a inscrição 1916 R 1918 dizem que nunca foram emitidas.

Meus exemplares 


Uma uma cruz em esmalte vermelho para um ferimento. ( 21 de fevereiro de 1921) 
normalmente a cruz é mais fina e mede cerca de 1cm, este é um exemplo maior com
cerca de 3cm (não ofical)

 Modelo com barras de serviço e Cruz de ferido (oficial)

Modelo mais comum.

 
Barra de serviços, 2 Prateada e 1 Dourada






LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...